Nuno de Campos

Nasceu no Porto em 1969 e é praticamente desconhecido em Portugal. Vive e trabalha em Nova Iorque, onde se tem afirmado e destacado no competitivo meio artístico da cidade, inserindo-se numa corrente que faz renascer a pintura realista. Depois de nove meses em Chicago, Nuno de Campos prosseguiu os estudos artistícos em Boston e Medford com bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Em 1999 concluiu o mestrado e realizou a sua primeira exposição individual na Clifford-Smith Gallery, em Boston, onde recebeu rasgados elogios | “O colo é representado como um lugar mútuo de domínio e dependência. Esta duplicidade reflecte a íntima separação entre a objectificação e adoração, que caracteriza o acto de pintar” Nuno de Campos.




A star is born

Gosta de desenhar. Desde sempre que se lembra de o fazer. Gosta de fósforos e velas mas detesta o cheiro de gasolina. É doida por cadernos novos; gosta tanto deles que se cansa dos velhos e, a partir da décima página, deixa de os utilizar e arranja um novo. Vive rodeada de embalagens, canetas e citações: ‘tenho a mania de guardar citações de filmes, músicas, séries, livros… Até tenho um blog super privado (só tem praí 2 ou 3 leitores permitidos) onde vou pondo essas citações. É quase auto biográfico’.
Mariana do Vale tem 21 anos e está no 3º ano de design de comunicação, na Faculdade de Belas Artes, em lisboa. Já tinha passado pela António Arroio e fez o 1º ano de pintura, também em Belas Artes, até perceber que queria mudar de curso. Entrou na faculdade com 2O valores no exame específico e, ainda no 1º ano, ganhou o concurso aberto a todos os estudantes para a criação do novo logo da faculdade de Direito de lisboa. Mas quando se fala disto, Mariana sorri, sem dar importância: ‘é tão difícil delimitar objectivos…provavelmente ainda estou na crise da pós adolescência’.  Pode ser que sim. Mas os seus desenhos são maravilhosos e disso não há dúvidas. Mariana do Vale, timidamente, agradece os elogios e acrescenta: ‘gosto de tanta coisa que não sei bem para que lado me virar. Mas sei que quero viajar depois de acabar o curso e conhecer contextos diferentes que possam ajudar-me a crescer como pessoa e como profissional’.  Ver + aqui e aqui



Oh!

Oh! Ideias e design é uma marca portuguesa, criada há cerca de 1 ano, por 3 amigos. Tudo começou por acaso, quando foram a uma feira de artesanato urbano, no Jardim da Estrela, e viram em exposição móveis antigos submetidos a operações de restyling com cores fortes e contemporâneas. 'Foi algo completamente novo para nós', explica Rui Miguel Bispo, um dos fundadores da marca - 'contudo, pensámos que, em vez uma operação de cosmética aos móveis, seria mais interessante fazer peças de mobiliário completamente novas, a partir de móveis antigos ou abandonados nos passeios da cidade, conjuntamente com outros tipos de materias, preferencialmente reciclados. A forma como começámos a olhar para peças deixadas na rua, alterou-se e em 2012 passámos a conceber, de forma sistemática, os nossos móveis, com base no aproveitamento e transformação de móveis antigos ou abandonados, cujo design e materiais revelam potencial para dar vida a uma nova peça'. 
Na selecção dos materiais, dá-se prioridade à madeira maciça e aos contraplacados - tanto nas peças originais como nos materiais usados para a sua transformação - evitando-se o uso de aglomerados, mdf e folheados, de forma a privilegiar a qualidade da peça final.
O processo de recuperação passa por várias etapas, desde a inicial,  pintura e/ ou envernizamento, polimento e lixa, até a uma fase posterior, onde é efectuado o levantamento das suas dimensões para serem em seguida transferidas para um formato digital. É a partir daí que o novo móvel é projectado, acrescentando ou retirando elementos, com o objectivo de valorizar o design e função do mesmo de acordo com padrões contemporâneos, em que o velho e o novo se conjugam de forma harmoniosa. 
O baixo custo de venda ao público das peças deve-se à conjugação de vários factores: 
- as peças são encontradas na rua ou compradas a preço reduzido;
- os sites utilizados para a sua divulgação são gratuitos;
- a venda é on-line, não existindo, portanto, um espaço físico para venda das peças. 





ahua

 ahua é uma marca portuguesa, de surf, dedicada ao desenvolvimento de hand planes para body surf e alaias para o surf. Através da pesquisa e experimentação dos últimos dois anos, a marca procurou desenvolver produtos de grande qualidade, conforto e performance, rompendo com o que já existia no mercado. Os objectivos da ahua passam também pelo incentivo à prática de um 'novo' desporto - o body surf - alargando o leque de formas de interação com as ondas para que um maior número de pessoas possa desfrutar do contacto saudável com o mar. 





Sovina

Os três cervejeiros são responsáveis pela cerveja artesanal gourmet, produzida na cidade do Porto com a marca Sovina.
Uma cerveja genuína, não filtrada, elaborada a partir de métodos artesanais, 100% malte, sem conservantes nem corantes. Sovina Amber e Sovina Helles foram os dois primeiros tipos de cerveja a ser produzidos, seguindo-se a Sovina Stout, IPA e Trigo. Paralelamente, o trio lançou um site onde explica, passo a passo, como fazer cerveja em casa a preços muitos reduzidos.









EAU

Eau, marca portuguesa, é uma água purificada no momento, a partir da rede, por equipamentos certificados. Um conceito inovador, simples de instalar e pronto a utilizar, que oferece uma solução eficaz: mensalidade fixa e consumo ilimitado. Elimina o investimento em stocks, liberta o espaço de frio e de armazém e rentabiliza tempo e mão de obra. A qualidade e pureza bacteriológica é verificada através de análises efectuadas em laboratórios oficiais acreditados e cumpre todas as regras HACCP. A garrafa de vidro, com um design exclusivo, por ser reutilizável, evita o circuito de distribuição habitual, as embalagens residuais e os custos ambientais, respeitando as melhores práticas sustentáveis. Lisa ou com gás, fresca ou natural, a EAU é a opção saudável, fornecida em quantidade ilimitada, para hotelaria, restauração e catering.



José Lourenço


José Lourenço pertence à geração de artistas portugueses que a partir do final dos anos 90 começa a divulgar a sua obra fora das galerias portuguesas. Com uma linguagem visual idêntica à do computador, trabalha com uma perfeição imaculada, um rigor e uma economia no traço que o aproximam à geometria. As cores são planas, limpas e luminosas - com referências minimalistas. Lourenço constroí espaços através do vazio e do silêncio, dentro de uma estética muito zen. Nas suas imagens há uma presença e uma ausência, ou seja, uma presença invisível do que não está lá. Próximas exposições: 24 de Abril - galeria Rafael Ortiz, Sevilha | Setembro - galeria Amarelonegro, Rio de Janeiro e CarpeDiem Arte, em Lisboa.









ready sit

Concebido pelos designers portugueses, Carlos Batista e João Pescada, ready sit é um banco portátil, fácil de montar e com um design simples e funcional. A ideia é poder transportá-lo para qualquer lado, desmontado, bastando apenas pressionar o topo para que fique pronto a ser usado. Apesar de ser feito em cartão, é extremamente resistente - suporta até 100kg de peso. Ideal para ser usado em eventos como concertos, festivais, filas de espera, ou apenas para levar no carro e ser usado sempre que necessário. Por ser de cartão é também uma boa ferramenta de marketing, podendo nele ser impresso qualquer marca, logo ou promoção. Ver o vídeo aqui







Cochos

A marca portuguesa branco sobre branco, relançou os tradicionais cochos de cortiça, utilizados para beber água, sem pega e mais circulares, incentivando o uso dos mesmos na decoração. As medidas variam entre os 35 e os 45 centímetros de diâmetro.




Flux

Concebida pelo designer Jerszy Seymour para a marca Italiana Magis, a cadeira Flux surge como um esboço divertido onde são aplicados materiais simples, como o arame revestido, tornando-a extremamente simples e flexível.


IN-EI by issey miyake


IN-EI significa 'sombra' ou 'nuance' e é o nome dado à colecção de candeeiros com design sustentável, concebidos pelo estilista japonês Issey Miyake, para a marca italiana artemide.
Cada um dos 10 projectos utiliza um tecido especial, obtido a partir da reciclagem de garrafas PET, com uma tecnologia inovadora que reduz o consumo de energia e as emissões de CO2 até 80% - quando comparada com a produção de novos materiais.
Foram usados princípios matemáticos 2D e 3D para definir a sua forma e a extensão das sombras e luz | 'A beleza não reside nos objectos, mas na interação entre a luz e a sombra criada por eles'. Junichiro Tanizaki in Praise of Shadows






MAR

Foi inaugurado o Museu de Arte do Rio , um projecto do arquitecto espanhol Santiago CalatravaO MAR, que nasce com uma coleção de arte própria, mas que se especializará em exposições temporárias, tem como sede um conjunto arquitectónico composto por um edifício histórico e outro contemporâneo, unidos por uma cobertura de 1.700 metros quadrados e 800 toneladas, em forma de onda do mar. Pretende promover uma leitura transversal da história da cidade e funcionará, também, como espaço de divulgação artística e como escola de formação de professores de arte, com o objectivo de unir a cultura a 600 mil alunos de escolas públicas brasileiras.



Bronco



É um banco de balcão ou mesa, com uma estrutura em T, desenhado por Guillaume Delvigne para a marca super-ette.
O assento, de madeira moldada e em forma de sela, encaixa num dos pés, com dois parafusos, tornando-o um apoio lombar, uma pega, ou um gancho para pendurar os objectos pessoais. Simples e funcional.











Pura poesia

Fernando Guerra é, juntamente com o seu irmão, Sérgio Guerra, o responsável pela divulgação da arquitectura portuguesa contemporânea, além fronteiras, desde há 12 anos. Trabalha, entre outros, com nomes como Siza Vieira, Jordi Badia, Zaha Haidid e Marcio Kogan e é regularmente apresentado em publicações como a Wallpaper*, Dwell, Icon, Domus e A+U. Perfeccionista, persistente e detentor de um sentido estético invulgar, capta cada momento com uma imparcialidade e um controle de emoções que difícilmente é perceptível no resultado final. As suas fotos são beleza em estado puro; verdadeira poesia e, muito frequentemente, humor. Em 2012 foi nomeado Canon Explorer, assumindo o papel de embaixador da Canon Europa, ao nível da fotografia de arquitectura. Mas é a outra face do artista que me interessa; não a do trovador de paredes mas a do poeta de imagens. A descobrir.

Companhia Nacional de Bailado | O lago dos Cisnes

Pininfarina Giulia Small Children's Rocking Horse


Um cavalo de baloiço, para crianças, criado pelo Centro de Investigação Pininfarina. O objecto é executado a partir de uma peça única de madeira de cedro, esculpida de modo a obter formas graciosas e simples, enriquecidas por uma alça em couro.

M-bamboo table & M-bench

A mesa M-bamboo e o banco M-bench, concebidos pelo Jennifer Newman Studio, parecem recriações das antigas mesas e bancos da escola, ou de pic-nic. Os materiais utilizados são alumínio pintado e  bambu (em tom chocolate ou caramelo). Podem ser colocados no interior ou exterior, consoante a combinação pretendida e adquiridos numa imensa variedade de cores.





Float wall hook

Cabide em madeira de carvalho, concebido por Karim Rashid

Rokur chair

Uma versão minimalistas de um símbolo: a cadeira de baloiço da casa dos nossos pais e avós. O projecto, da autoria da Purpose Inc, teve como preocupação primordial a inovação da forma, mantendo a sensação de protecção e relaxamento.





L'atelier des garçons

L'atelier des Garcons é o estúdio dos ceramistas Jean-Marc Fondimare e Hibelot Eric. As suas peças são caracterizadas por formas fluídas, cores alegres e composições divertidas.





100% TobeUs

TobeUs começou por ser uma ideia do arquitecto e designer italiano Matteo Ragni, que, ao tornar-se pai, percebeu que os brinquedos modernos não são mais que objectos descartáveis ​​e sem valor ou significado reais. Surge agora a 100% TobeUs: 100 carros para brincar, em madeira perfumada de cedro, criados para durar e inteligentemente concebido por 100 designers. Um projecto patrocinado pela Alessi.











Barbry



O designer francês Aurélien Barbry, criou cavaletes de madeira para a empresa francesa eno.
Os Barbry foram desenvolvidos como um jogo de construção, fácil de montar. São vendidos embalados em caixas planas.